quinta-feira, 25 de outubro de 2012

dia de trabalho

agradeço a saúde,  agradeço pelos acontecimentos.
mas Deus, não esquece...
vc sabe que vim ao mundo pra contemplar, né?

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

segunda de sol!!!

oh glória!

passarinhos cantando na paisagem

... se eu morrer hoje
quero voltar eu mesma.
tanta coisa pra fazer...
acho que não vai dar muito tempo, eu acho...
quer me conhecer?
veja o que eu vejo.
manhã chegando
uma estrela, uma araucária
as tais matizes...
a janela da minha cozinha é foda
emoldura tudo isso

coisas do caderninho

madrugada da dúvida

não sei se durmo ou me drogo mais
a gente envelhece e fica super rápida pra umas coisas,
pra outras é uma lerdeza

colo

ahhh família!!!
pq vc não tá num potinho/vidrinho!
vinho, fumo... preciso de drogas mais pesadas
tentarei culpa e saudade
já já o horizonte pinta...
serão matizes claras
uma noite linda prevê uma manhã feliz
são 5:40

o subúrbio

... que pode ser qqer lugar depois do túnel
os amores de lá sempre sonhavam em cruzar o túnel.

punheta

em sta teresa,  eram os amores maduros
longas caminhadas filosofando
copo cheio, copo vazio
e o sexo chamava... verbal

das lembranças


lembrei dos 4 anos que morei em Copacabana
a madrugada era sempre companheira
nas caminhadas, nas boates
amor não era artigo de luxo...
em cada esquina dava-se uma chance ao destino
não era prostituição... eu era jovem.
... me cansa
prefiro o jeito suave de como a brisa bate nas folhas...
e elas se arrepiam

sábado a noite

falar grosso...
coisa de gente phina!

domingo de faxina

madrugada de sábado:
... e a casa diria, se falasse: _ me limpa! pelo menos como tenta limpar a tua bunda!
casa grossa... que nem eu!

do lar

tenho gostado dos meus poucos tempos em casa
é quando sento na sala ouvindo música e  vejo  a grama crescida e a ração acabando.

DD.DP.DR.

o que a gente pode discutir...
dialética, poética ou a relação
tô sempre justificando meus atos...
de certo,  acredito neles.

eu posso!

eu já quero segurar tanta coisa
por que não posso deixar a felicidade livre?

(?)

a dúvida esclarece certezas

para sempre, é sempre?

para sempre, demora muito?

nunca mais, demora muito?

semana

semana de árduo trabalho
semana de lindos encontros
me despeço de uma semana que vai deixar saudade

madrugada de sábado

horário de verão...
perdi uma hora
ganhei uma madrugada linda

abrindo o caderninho...

caso ou aprendo a andar de bicicleta...
caso e aprendo a andar de bicicleta...
caso eu aprenda a andar de bicicleta... caso...

sábado, 13 de outubro de 2012

emociona


Chora, disfarça e chora
Aproveita a voz do lamento
Que já vem a aurora
A pessoa que tanto queria
Antes mesmo de raiar o dia
Deixou o ensaio por outra
Oh! triste senhora
Disfarça e chora
Todo o pranto tem hora
E eu vejo seu pranto cair
No momento mais certo
Olhar, gostar só de longe
Não faz ninguém chegar perto
E o seu pranto oh! Triste senhora
Vai molhar o deserto
Disfarça e chora

é triste, mas é doce

Jacob e Hermínio Bello de Carvalho

Venho implorar
Pra você repensar em nós dois
Não demolir o que ainda restou pra depois
Sabes que a língua do povo
É contumaz, traiçoeira
Quer incendiar desordeira atear fogo ao fogo 

Tu sabes bem quantas portas tem meu coração
E dos punhais cravados pela ingratidão
Sabes também quanto é passageira essa desavença
Não destrates o amor

Se o problema é pedir, implorar
Vem aqui, fica aqui
Pisa aqui neste meu coração
Que é só teu, todinho teu, o escurraça
E faz dele de gato e sapato
E o inferniza e o ameaça
Pisando, ofendendo ,o desconsiderando
O descomposturando com todo vigor

Mas se tal não bastar
O remédio é tocar
Esse barco do jeito que está
Sem duas vezes se cogitar

Doce de coco, meu bombocado
Meu mau pedaço de fato és um esparadrapo
Que não desgrudou de mim

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

para o que não tem solução

"Para o que o suor não me deu
O fogo do amor ensinou
Ser o barro embaixo do sol
Ser chuva lavrando sertão
Qual aleijadinho de sabará
E a semente das bananas

Para o que não tem solução
A sede do peixe ensinou
Não me vale a água do mar
Nem vinho, nem glória, navio
Nem o sal da língua que beija o frio
Nem ao menos toda raiva

Para o que não tem mais razão
A calma do louco ensinou
A dizer nada

Para o que não tem mais nada
A calma do louco ensinou
A dizer razão"

m. nascimento e m. guedes

tipico dia feliz!

hoje eu tomei banho de balde. quem me conhece sabe...

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

e quando tudo fica turvo, diz vivi:

olhar de cacimbo
e diz mais...
"porque nenhuma visão é neutra,
porque o turvo precisa ser dito, antes que se perca em escuridão"

novidade...


quinta-feira, 4 de outubro de 2012

por que?

ela bateu na minha janela
bateu outra vez
de novo...
eu abri e ela se atirou sobre a minha cama
me acarinhou a noite inteira
ah lua... por que insistes nesse romance?
ah esses dias sem azul
...me aperta o peito

Clarice Lispector


"Eu escrevo para fazer existir e para existir-me. 
Desde criança procuro o sopro da palavra que dá vida aos sussurros. " 


ná ozetti

"tem gente que pira e berra
eu canto, pio e silvo"

terça-feira, 2 de outubro de 2012

sou mesmo essa confusão toda


cantar é quase um milagre.
eu sempre fui tímida e reservada.
aprendi a ser cara de pau e popular

desde de pequena eu escrevo.
historinhas, cartas pra prima, redações pra escola
cartões de natal, cadernos/diários
na calça jeans, na camiseta escolar... no fim das aulas.

minha boneca favorita ganhei já grande. ela não tinha boca
mas tinha grandes olhos.
grandes, pequenos, verdes, azuis, mesmo que mentirosos,
castanhos, pretos, amendoados, redondos, apertados...

olhos sempre me apaixonaram
o olhar me apaixona
talvez porque eu tenha aprendido a falar com os meus e a entender outros.

sabia nos olhos a reprovação da mãe e também seu carinho.
os olhos pedinte da minha irmã e da minha cadela
os olhos apaixonados da moça bonita e do olhar agradecido do amigo

quando pequena eu não falava muito.
tinha olhos melancólicos como me disse uma vez o irmão de um amigo
olhos de capitú, também já ouvi falar que tenho
olhos de cobra... por conta da cor
olhos lindos

eu escrevo pq pouca gente sabe decifrar olhos

escrevia mais antes de cantar

escrever é a parte de mim que quer comunicar mais diretamente
não sei se consegue... não sei se tem clareza
ou se sou essa bagunça toda,
aqui dentro,
que nem minha cabeça

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

hoje eu quero falar de teatro.



eu acho atores, peças e diretores um saco.
vergonha alheia tá na platéia e ver aquele ser patético que nem sabe dar o texto.
...figurino, musica, cenário, luz. tah!
mas não considere meu comentário. não considere meu ponto de vista.
sobre teatro nada sei.
não sei tecer críticas sobre isso, não tenho essa linguagem
não vi as grandes peças, não li os textos clássicos
não conheço os grandes dramaturgos, não sei sobre os diretores.
e por vezes me poupo de fazer elogios ou mesmo comentários, críticas...
porque penso que nada sei.
hoje eu quero falar pra Greice Barros...
o que te dizer? posso ser repetitiva
posso ser sem sal...banal...
vc sorri,  agradece e aí?
e aí o que?
mas vc me provoca...
vc é,  naquele momento, aquilo que me toca profundamente.
e quero te dizer. apenas te dizer
por favor, é necessário pra mim...
Greice Barros...  vc é do CARALHO!!
e caralho, nesses termos, quer dizer muito bom, maravilhoso
o que provoca em mim...
riso, choro, raiva, tesão
esqueço que ali é vc...
e quando lembro, aí me emociono mesmo.
ih! olha lá... é a Gre...
sou aquela parcela dos 99% do público (que nada sabe sobre) que vai ao teatro e
vê, ouve e pode chorar, rir, se emocionar, ter estranhezas, nojo, carinho.
pode ser colocado pra pensar, pode não ser tocado também.
hoje eu quero falar do Circo Negro
 ... cenário, luz, figurino, atores, texto, diretor, a cia
a música... tudo do CARALHO!!!!

...mas caralho é bom!

sábado, 29 de setembro de 2012

rezinga de mulher

nos dias em que essa chuva miúda em mim persiste
resmungo... é nterminável

conclusão

e quando você saiu da minha vida...
eu chorei, bebi, fiquei nua e vivi

pergunta

por que quem a gente quer olhar nos olhos
quer nos ver pelas costas...

afirmação

porque quem a gente espera
nunca chega pra uma visita

é cárcere?

gostaria de guardar tudo o que amo e tenho saudade num potinho...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

atitude?

e a alma? 
tá em dia como o visual?

enquanto isso na província


hoje por duas vezes me senti despida...
e nas duas situações,  nem tinha o interesse em tirar a roupa
as vilas e a vida do outro como tema

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

caderninho aberto

pra mim, quando a lua chega no topo do céu
no fundo da casa...
ainda temos uma noite inteira pra amanhecer

sábado, 22 de setembro de 2012

em plena Primavra

chegada da lua crescente... desejos de lua nova

Canção da lua nova (Rubinho do Vale/João Evangelista Rodrigues)

Água clara lua nova sabiá na laranjeira
Toda estrada se renova como as folhas da roseira
Cada rosa que se abre é um sonho que se colhe
Um cantar que não se sabe feito flor em nossos olhos
No olhar dessa uma menina namorando a claridade
Nos acordes da viola água clara nova rola
Dessa lua novamente acordando esse lugar
Nossa luta de água clara clareando a escuridão
No leito da vida bruta no peito de uma canção
Coração de uma menina desvendando a solidão
Vou cantar pra não morrer e nem pra viver em vão
Cada espinho que se colhe vai ser flor de outra canção
A razão de resistir é ser a rosa da roseira
Cada espinho do caminho não é cova traiçoeira
Água clara lua nova renovando a vida inteira

insomnie

será que foram as agulhas da acupuntura de hoje a noite?
ou os pensamentos que por vezes também espetam, cutucam
sei lá. chega sono, chega.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

as quatro estações

pra quem viu o dia nascer feio e cinza
sentiu o vento frio que veio com a chuva
feliz está por ver o céu cor de rosa
já já tem estrelas
já já vejo a lua

tanto quis...

coisa de Deus
Sta Coincidência, Sta Bondade, Sta Sorte
surpreendida com a graça do vento
cabelos ao vento
no mesmo instante agradeci aos céus, agradeci
fui atendida

é fato...

A Carta (Mário Quintana)

hoje encontrei dentro de um livro uma velha carta amarelecida
rasguei-a sem procurar ao menos saber de quem seria...
eu tenho um medo
horrível
a essas marés montantes do passado,
com suas quilhas afundadas,
com seus sucessivos cadáveres amarrados aos mastros
e gáveas...
ai de mim
ai de ti, ó velho mar profundo,
eu venho sempre à tona de todos os naufrágios!




...

quem nunca leu Quintana
não sabe a importância das reticências

exercícios de um novo tempo?

flagrei-me com tempo e desejo de ler. coisa rara e entrega  uma certa felicidade.
texto de estudo e poemas. mais exatamente Mário Quintana.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

hoje

as vezes, num fim de tarde, dá uma saudade
não sei bem de quem, não sei bem de onde
não sei

sábado, 15 de setembro de 2012

resolvi abrir meu caderninho...

ah, como eu queria ser dna. Amália Rodrigues...

eu sou uma cantora.
interprete de mim mesma.
uso a canção pra falar de mim. porque na verdade eu sou o meu assunto.
consigo te entreter... nem sempre! mas na maioria das vezes.
eu falo de amor. sempre!
eu canto com amor. quase sempre...
raramente, não.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

vem chegando a primavera... deixe que entre.

hoje meu pai faria 86 anos. esse ano fez 10 de sua nova vida, a espiritual.
me bateu uma saudade... desde  quinta feira venho tentando entender porque a melancolia me consumia. aqueles que sabem de mim,  a viram no meu olhar. a lua cheia então... veio pra me deixar mais sensível.
procurando uma explicação pra tamanha fragilidade, passei horas em silencio e sozinha.  cheguei a colocar toda a culpa na TPM. o que seria de nós mulheres sem a possibilidade de culpa-la. se tenho uma tristeza... pode ser porque  meu pai não me viu cantar. um ano após sua morte resolvi fazer do canto meu oficio. se vivo fosse eu o diria: pai, amanhã vou cantar pra você, em sua homenagem! agradeço ao sr. Jorge Elias pela parceria pai-filha, pelas conversas, os almoços de miojo aos domingos. jorginho,  um beijo e muita saudade

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Morra!

cansei de dar a outra face
cansei de revidar
agora pra quem me trata mal

eu mando flores!

terça-feira, 26 de junho de 2012

cupido
culpado
esculpido
encarnado

cupido
culpado
cuspido
escarrado


キューピッド
有罪
刻まれた
肉体を与える

キューピッド
有罪
スパッツ





segunda feira

foi tomada por uma artística loucura
deu de pintar nas paredes, escrever
não é bem loucura
é que já não cabe mais em si
apenas quer falar
sem ninguém pra ouvir
vê solução na tinta, no pincel
deu de pintar nas paredes pra relaxar as idéias
deu de pintar nas paredes pra distrair o coração
guarda o rodapé pras pequenas notas, observações
e lugares mais altos pros assuntos secretos e amores
esses não são pra todos
nem pra toda hora.

quinta-feira, 7 de junho de 2012

sim! todo amor é sagrado.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Adoro!
pra minha irmã cristina, em homenagem aos velhos tempos. lá na bambina.

sábado, 19 de maio de 2012

miasmas ou a angustia existencial



eita tempos... morte, doença. purificações. eu tentando entender alguma coisa. não entendo. o frio me deixa paralisada. não, não gosto. a sensação na pele é boa. o vinho aquecida, é bom. o quentinho dos gatos sob a coberta. mas os frios nas costas, que vem de dentro, do pulmão. as ites, as dores no corpo. e do lado de fora? o céu cinza, a roupa cinza, a pele esverdeada, os cremes pra ajudar a não ressecar, a boca rachada. da vontade de comer toda hora, os quilos a mais. o peso das tantas cobertas.  o sul tropical frio e sem calefação. o chuveiro que pifa! as frestas nas paredes e piso. qdo chove, as goteiras. qdo esquenta,  os cupins. a calha que não é limpa a tempos. o vizinho que reclama. o gato desconhecido que ataca os meus. minha pinha pocô! linda! nunca tinha visto. foi uma felicidade. ela conseguiu tirar a minha atenção de muitas coisas nesses dias. fotografei, fucei, mexi, cheirei, contei, medi, pesei e compreendi. as falhas que seguram o pinhão. comparei a jaca, fruta comum a mim, pela minha origem. bagos da jaca, chamamos. e a cada momento ia mexendo naquela descoberta. com uma certeza, não ha como reconstitui-la. não tem como cunhar tudinho daquele jeito.  naturalmente perfeito. agora é fato!

quinta-feira, 17 de maio de 2012

sábado, 12 de maio de 2012

só por hoje e apenas hoje.
pra minha mãe, irmãs e amigas

terça-feira, 27 de março de 2012

pulmão

outono... chegou.
corpo estranho, não o outono...
eu.
a tempestade chegou e eu cheguei por aqui.
tenho escrito, num caderninho. a administração disso é melhor. desopilo pra mim mesma. haja pulmão. haja pulmão. haja pulmão.

domingo, 29 de janeiro de 2012

verão. dia frio de céu azul e sol. pôr do sol lindo. um pensamento...